Portes de envio grátis a partir de 30€ e com peso até 500g, válido para Portugal e Espanha. Apoios
Cebola Branca de Lisboa sementes biológicas
Cebola Branca de Lisboa sementes biológicas
Cebola Branca de Lisboa sementes biológicas
Cebola 'Branca de Lisboa'
Cebola Branca de Lisboa sementes biológicas
Cebola Branca de Lisboa sementes biológicas
Cebola Branca de Lisboa sementes biológicas

Cebola 'Branca de Lisboa'

2,49 €
Com IVA

Menos pungente do que a amarela e a roxa, com sabor moderadamente picante; perfeita para comer em cru, na bela salada portuguesa.

o

ÉPOCA DE SEMENTEIRA

o

o

PLANTA ADEQUADA PARA VASOS

o

 

A cebola é mundialmente conhecida pela perfeição das suas curvas. A branca de Lisboa vem com um toque cosmopolita e aceita falar inglês e todas as línguas de quem queira experimentá-la. Em jardins, adorna graciosamente canteiros e caminhos com as suas flores brancas e roxas. Na gastronomia, quando cortada, tem o poder de deixar uma família inteira a chorar. O seu cheiro é inconfundível, mas o sabor característico convida a usá-la na maioria dos pratos da gastronomia portuguesa. Aceita ser misturada com quase todos os ingredientes. Pode ser comida crua, em saladas, e é a base do refogado, esse início quase lapidar de estufados, assados, caldeiradas. Com ela se faz sopa e, caramelizada ao fogão, lentamente, devolve-se em acepipe surpreendente, adicionando riqueza e sabor a refeições ligeiras. Originária do Afeganistão, Paquistão e Irão, foram encontradas sementes de cebola num túmulo egípcio, qual tesouro. A sua composição química confere-lhe propriedades terapêuticas e afrodisíacas ímpares. Daí o simbolismo mítico que, desde há séculos, lhe é merecidamente atribuído.

Itinerário técnico da cultura da Cebola (Allium cepa)

Como cultivar cebola biológica?

Sementeira

Pode ser feita no local definitivo ou em tabuleiro com posterior transplante (mais frequente) para o local definitivo passados 3 ou 4 meses. A cultura pode ser feita em linhas, mantendo 10 cm de intervalo entre plantas e 30 a 45 cm entre linhas.

Solo

A cultura prefere solos férteis e bem drenados, sendo os com uma textura argilo-arenosa os mais adequados, e em que  solos de texturas pesadas os camalhões ou as linhas devem ser subidos, de forma a permitir uma drenagem adequada. O pH do solo deve encontrar-se entre 5.9 e 6.5.

Clima

Prefere climas amenos, sem calor excessivo, devendo ter boa luminosidade e evitando locais com sombra.

Fertilização

Deve realizar-se uma fertilização de fundo com a incorporação de composto.

Rega

A cebola é uma cultura muito sensível a défices e excessos de água, devendo a primeira rega ser realizada logo após o transplante. Devido ao sistema radicular pouco profundo as regas devem ser frequentes, devendo ter-se atenção durante o engrossamento do bolbo. Quando as folhas começam a secar, um sinal de maturação, a rega deve ser descontinuada. O sistema gota-a-gota pode ser assim uma boa opção, evitando também que as folhas fiquem húmidas e leve ao desenvolvimento de doenças. 

Controlo de infestantes

mulching com materiais orgânicos é uma boa opção, pois leva a uma menor competição entre as infestantes e a cultura e ajuda também a manter a humidade no solo. A ausência do controlo adequado de infestantes leva a rendimentos inferiores e ao alojamento de pragas. A monda térmica é também uma alternativa válida, mas mais dispendiosa.

Controlo de pragas

Os nemátodes das galhas e as tripes são  pragas da cultura. Os nemátodes das galhas podem ser controlados através de rotações, biofumigação e solarização do solo. Quanto ao controlo das tripes devem usar-se plantas em bordadura favoráveis aos auxiliares antocorídeos (como malmequeres) e luta biológica com ácaros predadores e antocorídeos.  

Controlo de doenças

A alternariose e o míldio são doenças da cultura. Para o controlo da alternariose podem usar-se compassos largos para além de, se necessário, fungicidas cúpricos (como calda bordalesa). O míldio pode controlar-se através de compassos largos, rotações culturais adequadas e, se necessário, fungicidas cúpricos. 

Colheita

Quando 50% das plantas tiverem o escapo floral seco e a “tombar”, as cebolas devem ser arrancadas e deixadas a secar durante 2 a 7 dias dependendo das condições climatéricas. A fim de ajudar a evitar escaldões, a parte superior das plantas de uma linha deve ser colocada sobre os bolbos da linha seguinte. Se na altura da colheita estiver a chover o processo de secagem deve ser feito num local abrigado. Após este processo de secagem, as raízes e cerca de 2.5 cm acima do bolbo devem ser aparados.

Pós-colheita

Em ambiente refrigerado com uma humidade relativa de 65 a 70%, as cebolas podem conservar-se durante várias semanas, devendo frequentemente realizar-se uma inspecção e retirar do local de armazenamento bolbos que apresentem sinais de mau estado sanitário.

Variedades Tradicionais
Portuguesas
Cor
Branca
RA001-BAPH01

Poderá também gostar

Clientes que compraram este produto também compraram:

Produto adicionado aos seus favoritos

Para melhorar a sua experiência de utilização, este site usa cookies. Ao navegar está a aceitar a presente política. Para saber mais, consulte a nossa política de cookies.