RA009_Beterraba_Remolacha_Beetroot_Detroit-2_Sementes-Biologicas_Semillas-Ecologicas_Organic-Seeds_Sementes-Vivas_1
RA009_Beterraba_Remolacha_Beetroot_Detroit-2_Sementes-Biologicas_Semillas-Ecologicas_Organic-Seeds_Sementes-Vivas_1

Beterraba 'Detroit 2'

Raízes
Iniciante
Bio
1,59 €
Com IVA
RA009-BAPS01

ÉPOCA DE SEMENTEIRA

 width=

Uma beterraba redonda e de interior vermelho intenso. Para desfrutar do melhor sabor, deve ser colhida quando a raíz atinge o...

Quantidade por saqueta: 3 g
  • 3 g
  • 10 g
  • 50 g
  • 200 g
  • 1 kg

 

Itinerário técnico da cultura da Beterraba (Beta vulgaris)

Como cultivar beterraba biológica?

Sementeira

Feita no local definitivo, devendo assegurar-se que a semente é bem aconchegada ao solo.

Solo

A cultura prefere solos profundos, arejados, com elevada capacidade de retenção de água e com pouca tendência para formar crostas superficiais. O pH deve encontrar-se entre 6.0 e 7.5. A cultura tem alguma resistência à salinidade.

Clima

A cultura adapta-se bem a climas temperados, com boa luminosidade e húmidos.

Fertilização

É uma cultura exigente, pelo que deve ser incorporado composto previamente à instalação.

Rega

Em solos arenosos, a capacidade de retenção de água é menor, devendo as regas nestes locais serem mais ligeiras e frequentes, acontecendo o oposto em solos argilosos. O sistema de rega gota-a-gota é uma boa opção.

Controlo de infestantes

Previamente à instalação da cultura podem utilizar-se falsas sementeiras e solarização do solo, sendo que após a sementeira usam-se meios mecânicos ou mulching com materiais orgânicos.

Controlo de pragas

Os afídeos, alfinetes, lagartas roscas, mosca da couve e nemátodes são pragas da cultura. Para o controlo dos afídeos devem realizar-se fertilizações moderadas sem excesso de azoto, limitação natural com sebes em bordadura para favorecer os auxiliares, luta biológica com himenópteros parasitóides e predadores e, se necessário, aplicação de sabão de potássio ou azadiractina. Os alfinetes devem ser controlados evitando terrenos de maior risco como tendo forragens, milho ou batata como precedente cultural e pelo trabalho do solo com uma lavoura ligeira, gradagem ou uso de vibrocultor. As lagartas roscas são controladas evitando o uso de estrume fresco, pelo uso de isco com farelo + melaço + Bacillus thuringiensis  sobre o terreno junto à cultura, Bacillus thuringiensis em pulverização, luta biológica com nemátodes Steinernema carpocapsae e, se necessário, por aplicações com azadiractina. A mosca da couve é controlada através do enrelvamento com trevo branco, espalhando serradura ou cinza entre as plantas, não usando estrume fresco e cobrindo o solo com plástico à volta das plantas.  Os nemátodes são controlados através de rotações culturais adequadas, biofumigação e solarização do solo.

Controlo de doenças

O oídio é uma doença da cultura, devendo para o seu controlo serem usados compassos largos, fertilização azotada moderada, uso de enxofre em pó polvilhável ou enxofre em pó + lithothamne (1:1) em polvilhação (menos fitotóxico que enxofre estreme).

Variedade
Raízes
Nível
Iniciante
Certificação
Bio
Cor
Vermelho
Nome científico
Beta vulgaris L.
5600713306632

Também poderá gostar

Produto adicionado aos seus favoritos