Portes de envio grátis a partir de 30€ e com peso até 500g, válido para Portugal e Espanha. Apoios

o

O que é a compostagem?

 

A compostagem é um processo controlado de decomposição da matéria orgânica que resulta num produto estabilizado chamado composto graças à atividade de seres vivos. Por outras palavras, o processo de compostagem é a transformação de matéria morta em fertilizante natural, semelhante ao que decorre na natureza, mas otimizado de forma a realizar-se de forma rápida e eficiente. 

 

A degradação do material biodegradável é realizada por seres vivos microscópicos, microrganismos e pequenos invertebrados, sempre na presença do ar e da água.

 

Adicionalmente, a compostagem produz um material com características que permitem melhorar a qualidade dos solos e ajudar as plantas a desenvolverem-se.

Razões para compostar:

 

  • A compostagem fornece um material rico em nutrientes que melhora o desenvolvimento das plantas.

  • O composto atua no solo como uma esponja, ajudando o solo a reter a humidade e os nutrientes.

  • O composto ajuda a melhorar as características dos solos, quer sejam solos argilosos ou arenosos, concedendo-lhes uma melhor estrutura.

  • Os solos ricos em composto são menos afetados pela erosão.

  • O uso de composto aumenta os nutrientes desse solo, reduzindo o recurso ao uso de fertilizantes químicos, aumentado a produtividade e qualidade das culturas.

  • A compostagem dos resíduos reduz significativamente a quantidade de resíduos a depositar em aterro.

Os elementos básicos que são necessários à compostagem são: materiais orgânicos; água; ar 

Material necessário:

 

 

  • 1 Compostor idealmente deve ser robusto, deve apresentar espaços para a circulação de ar, deve ter uma rede na base para evitar a entrada de roedores e uma tampa para evitar a entrada do excesso de água quando chove. Deve ser colocado diretamente sobre a terra para facilitar a entrada dos decompositores e para a eventual absorção de escorrências.

  • 1 Forquilha (para revolver a pilha do composto)

 

  • 1 Regador (para adicionar água se necessário)

 

  • 1 Tesoura de poda (para reduzir a dimensão dos resíduos)

 

  • 1 Termómetro (para controlar a temperatura da pilha)

 

 

 

 

 

O que podemos compostar?

 

Os materiais biodegradáveis são classificados de castanhos ou verdes. Os castanhos são os resíduos do jardim já secos, como aparas de madeira, relva e folhas castanhas, palha, feno, serradura e plantas mortas. Estes materiais são ricos em carbono, o constituinte mais abundante na madeira, e pobres em azoto, o constituinte mais importante das proteínas. Os verdes são os restos de comida, vegetais e frutas, folhas verdes, etc., que são muito mais ricos em azoto e em água do que os castanhos.

Num compostor devem-se alternar as camadas de material castanho e verde, sucessivamente. Mas há que ter em atenção, que a última camada tem de ser sempre de material castanho, para minimizar os maus cheiros durante todo o processo.

 

O processo tem de ter um acompanhamento contínuo, porque a falta ou excesso de água podem atrasar e interferir com os métodos metabólicos que conduzem à compostagem, por isso é conveniente regar e revirar a pilha com alguma regularidade.

Materiais que podem ou não ser colocados no compostor:

 

  • Restos de cozinha: legumes, fruta, cascas, cascas de ovos, pão, sacos de chá e café, arroz, massa, cereais, comida cozinhada e restos vegetais da comida.

  • Aparas de jardim: folhas, relva, caules, flores, ramos, palha, feno, aparas de madeira.

  • Outros: papel, cartão, palha, madeira não tratada, cinzas.

  • Evitar: gorduras, lacticínios, carne, peixe e marisco, cinzas em grande quantidade.

  • Não colocar: pilhas, vidro, metal, plástico, medicamentos, excrementos de animais domésticos, plantas doentes, restos de comida cozinhada (carne, ossos e peixe), ervas daninhas com sementes, resíduos de plantas ou cortes da relva que foram tratados com produtos químicos.

Fatores que influenciam o processo de compostagem:

 

Arejamento - Sem oxigénio os microrganismos não conseguem respirar e, por conseguinte, não conseguem realizar a compostagem. Daí que seja necessário revirar a pilha de resíduos orgânicos para o arejar.

Humidade - Para que os microrganismos possam atuar eficazmente, a pilha de resíduos orgânicos deverá ter alguma humidade. 

Temperatura - Deve medir-se a temperatura periodicamente, sendo que a temperatura ideal deverá situar-se entre os 60 e os 65ºC.

Resolução de alguns problemas que possam surgir:

 

Sinais

Problema 

Solução

Processo lento

Demasiado castanhos

Adicionar mais verdes e água;

Revirar a pilha

Cheiro a podre

Humidade excessiva/ compactação

Adicionar mais castanhos; Revirar a pilha

Cheiro a amónio

Demasiados verdes

Adicionar mais castanhos; Revirar a pilha

Temperatura muito alta

Pilha demasiado grande

Diminuir o tamanho da pilha

Arejamento insuficiente

Revirar a pilha

Temperatura muito baixa

Pilha pequena/ clima frio

Aumentar o volume da pilha ou isolar lateralmente

Humidade insuficiente

Adicionar água e/ou cobrir a parte superior

Arejamento insuficiente

Revirar a pilha

Falta de verdes

Adicionar verdes

Pragas

Presença de restos de carnes ou gorduras

Retirar da pilha

 

Como avaliar o composto?

 

A compostagem estará concluída quando, ao tomar uma amostra na mão, estejam satisfeitos os seguintes requisitos:

  • Adere à mão (indicativo de capacidade de retenção de água).

  • Não tem cheiro, ou tem cheiro a terra húmida.

  • Tem cor castanha escura.

  • Apresenta uma granulometria homogénea no que não se consegue identificar o material original.

 

Poderá ser utilizado ao fim de 2 ou 12 meses conforme a matéria-prima que lhe deu origem

Comments (0)

Produto adicionado aos seus favoritos

Para melhorar a sua experiência de utilização, este site usa cookies. Ao navegar está a aceitar a presente política. Para saber mais, consulte a nossa política de cookies.